Morro-do-Chapu-ferro-doido-Foto-Rita-Barreto-(3902)

MORRO DO CHAPÉU

 

Sobre o Município de MORRO DO CHAPÉU

A terra bonita por natureza

 

LOCALIZAÇÃO: Noroeste de Salvador, a 386 km (Estrada do Feijão), na zona oriental da Chapada Diamantina, a uma altitude de cerca de 1.100 metros, sendo que em pontos mais alto alcança 1.350 metros

CLIMA: Tropical de altitude, com temperatura amena na média entre 18 a 24ºC, tendo a  mais baixa chegado a 5ºC

CARACTERÍSTICAS TURÍSTICAS: 

PONTOS TURÍSTICOS: Gruta dos Brejões, com amplos salões, altura máxima de 80 metros e extensão de quase 7 Km;  algumas cachoeiras, sendo as mais importantes a do Ferro Doido, com 80 metros de altura e a do Agreste, composto de um conjunto de quedas seguidas e margeadas por belas depressões, além das de Domingo Lopes e do Ventura; o Buraco do Possidônio, grande cratera de 60  metros de profundidade que os cientista atribuem à queda de um gigante meteoro ou a um abalo sísmico; o Morrão, monte que deu  nome à cidade por ter o formato de um chapéu quando visto à distância do lado sul; a Serra Isabel Dias, um conjunto de serras, cujas área em torno é habitat de uma grande variedade de animais e plantas, compondo ricas faunas e floras; a Vila do Ventura, cujas ruínas retratam a época do apogeu da extração de pedras preciosas (diamante e carbonato) no início do século passado; um Centro de Ufologia que atrai muitos curiosos, dentre outras atrações.

 

OUTRAS ATRAÇÕES

Sítios Ecológicos: Morro do Chapéu, segundo informações do site http://www.bahia.com.br/roteiros/pre-historia-e-aventura-em-morro-do-chapeu, tem 10 sítios ecológicos com pinturas rupestres em grutas e serras, dentre as quais, destacam-se:

Toca da Figura: fica na região da Vila do Ventura, onde são encontrados painéis de sítios mostrando homens enfileirados, animais em posição de movimentos, cenas de caças, humanos subindo em árvores;

Toca do Pepino:  fica próxima da anterior, onde existe um paredão de cerca de 90 metros, repleta de pinturas de imagens de figuras humanas bem pequenas, um grupo de homens enfileirados e cenários compostos mostrando rituais que incluem homens com cocares e ferramentas como cestas, tacapes e lanças.

Lajedo Bordado: fica na Localidade de Formosa,  ente os povoados de Brejões e Tamboril, às margens do Rio Salitre, onde artes rupestres  aparecem na superfície de uma rocha como também sinais de pegadas de animais

OUTRAS DENOMINAÇÕES DADAS À CIDADE: A cidade é chamada por outros nomes fantasiosos como Cidade das Flores, por ter uma grande quantidade de espécies de flores silvestres e cultivadas em quintais, como o copo-de-leite, encontrado mais no sul do país; Cidade do Frio, por ter um clima considerado europeu e bem diferenciado de outros municípios baianos; Oásis do Sertão, denominação dada pela Revista Veja na década de 80, por ter nos seus quintais a vegetação sempre verde e diferente caatinga que circunda a cidade e por ter pequenas plantações de frutas tipicamente européias como maçã, uva e morango, sendo, talvez o único baiano a produzir marmelo; Suíça Brasileira, pro sua temperatura fria comparada a de outras cidades da Bahia e o clima parecido ao europeu; Cidade-Mãe, por dela já ter sido desmembrado alguns outros municípios.

 

DADOS ESTATÍSTICO/GEOGRÁFICOS

                Área: 5.581.834 Km² (um dos maiores municípios baianos em extensão)

                População: 35.207 habitantes (censo de 2010)

Densidade Demográfica: 6.36 hab/Km²  ( uma densidade baixa devido grande parte do município ser de serras e areões, relevo tico da Chapada Diamantina)

Mesorregião:  Centro Norte Baiano (IBGE 2008)

Microrregião:  Jacobina (IBGE 2008)

Municípios Limítrofes:  América Dourada, Bonito, Cafarnaum,  João Dourado, Miguel Calmon, Ourolândia, Piritiba, Sento Sé,  Tapiramutá e Várzea Nova

INDICADORES:

                IDH: 0,605 (médio) – PNUD 2000

                PIB: R$ 118.985,36 – IBGE 2008, um município pobre e ainda sem indústrias

                PIB PER CAPTA: R$ 3.398,71 – IBGE 2008

ECONOMIA: A economia do município sustenta-se na agropecuária (cultivo de feijão, milho, mamona, mandioca e café e, criação de bovinos, ovinos e caprinos), com grande potencial para a exploração do turismo ecológico. Ainda pouco explorado devido falta de políticas públicas voltadas para esse segmento, e mais recentemente com a perspectiva de ser implantado um parque de energia eólica.

DADOS HISTÓRICOS

 

Ano de 1591 – o desbravador Gabriel Soares de Souza alcança as terras férteis de Riachão de Utinga, começando o desbravamento da região

Ano de 1795 –  o missionário Clemente Adorno, chegou à Fazenda Morro (hoje Morro Velho), edificando uma capela em terreno doado por Antônio Ferreira dos Santos na Fazenda Gameleira, onde foi construída a capela da freguesia de Nossa Senhora da Graça

Ano de 1823 – chegam muitos portugueses fugidos da lutas pela independência da Bahia instalando fazendas de criação de gado

1º de junho de 1838 –  Lei Provincial  nº 67, cria o distrito de Morro do Chapéu

7 de maio de 1864 –  Lei nº 933, cria o município de Morro do Chapéu, desmembrado de Jacobina

6 de novembro de 1865:  é instalado o município de Morro do Chapéu

08 de agosto de 1909 – Lei  nº 752 a sede do município é elevada  à categoria de cidade, cujo município tinha uma área formada pelos  atuais municípios de América Dourada, Barro Alto, Bonito, Canarana, Cafarnaum, Irecê, João Dourado, Jussara, Mulungu do Morro, Presidente Dutra, Lapão, São Gabriel, Utinga, entre outros.

21 de agosto de 1915: criada a comarca de Morro do Chapéu, desmembrada a de Jacobina, sendo instalada no dia 27 de outubro do mesmo ano. Na atualidade é integrada pelo próprio município, Cafarnaum e Mulungu do Morro

 

INSTITUIÇÕES  E CONSTRUÇÕES HISTÓRICAS

 

Sociedade Filarmônica Minerva: Fundada em 21 de outubro de 1910, pelo Coronel Dias Coelho, mais importante chefe político de história de Morro do Chapéu, um dos primeiros negros brasileiros a ser patenteado pela força nacional

Parque da Soledade: residência do Coronel Dias Coelho, onde foi construída uma capela para receber a imagem de Nossa Senhora da Soledade vinda da França, que foi levada de trem de ferro até a cidade de Queimadas e depois trazida em carro de bois

Correio do Sertão: jornal fundado em 15 de julho de 1917 pelo sapateiro Honório de Souza Pereira, um visionário que vendeu o que possuía para adquirir um equipamento na Alemanha, com a ajuda de Dias Coelho, tendo o mesmo percurso da imagem de Nossa Senhora, sendo levada em lombo de burros. É o segundo mais velho jornal da Bahia

Biblioteca Municipal Carneiro Ribeiro: Fundada na segunda década de século passado, quando poucas cidades do interior da Bahia dispunham de uma biblioteca

Protótipo de uma Nave Espacial: um marco da ufologia, vez que no município muitas pessoas já presenciaram sinais luminosos de naves extraterrestres pousando em alguns lugares

Casas antigas da Rua Coronel Souza Benta: conjunto de quatro casas, as poucas que restaram das que foram edificadas no apogeu da extração de minérios

Sobrado dos Grassis: edificações antigas do início do século passado, nas quais por muito tempo funcionaram as coletorias, estadual e federal, e outros órgãos públicos, além de casas comerciais  

Mandacaru do Morro Velho: considerado um dos mais velhos da Bahia, imponentemente fincado na mais velha fazendo do município

3 opiniões sobre “MORRO DO CHAPÉU”

  1. Realmente Morro do Chapéu é uma terra bonita por natureza. Pena não haver uma preocupação da população e dos seus dirigentes de preservar a natureza, bem como, aproveitar a sua potencialidade para a cidade tornar-se um pólo de turismo ecológico, a fim de gerar emprego e renda para os seus jovens que recentem da falta de oportunidades de trabalho.

  2. oi mim chamo luciene e estou em busca de uma tia quer mora air em morro de chapeu pos minha mae e maria de jesus matos e procura miriam de jesua matos quem sober por favor manda para meu o msm esta mos muito disperda pos a irma dela quer muito ver ela etc .

  3. Minha terra é linda e maravilhosa, só precisa de BONS GESTORES, que a trate com SERIEDADE, COMPROMISSO, APLICANDO O DINHEIRO PÚBLICO COM TRANSPARÊNCIA, INCENTIVE O TURISMO, E O POVO TAMBÉM ELEGER PENSANDO NOS 04 ANOS E NÃO NO MOMENTO DA ELEIÇÃO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>